em ordem alfabética

 

[Ana Carla Fonseca Reis] 


.

Possui graduação em Economia pela Universidade de São Paulo (1996), graduação em Administração Pública pela Fundação Getulio Vargas – SP (1989), mestrado com distinção e louvor em Administração de Empresas pela Universidade de São Paulo (1997) e é doutoranda em Arquitetura e Urbanismo – FAU-USP. Fundadora da empresa de consultoria “Garimpo de Soluções – economia, cultura e desenvolvimento”, consultora da ONU, curadora da conferência britânica Creative Clusters e do Creative Cities Summit de Detroit, diretora voluntária de economia da cultura do Instituto Pensarte, professora do MBA em Bens Culturais da FGV/SP, curadora e professora do curso de extensão em economia da cultura da Universidade Candido Mendes (RJ), articulista do boletim eletrônico “Cultura e Mercado”, conferencista internacional em cinco línguas e membro da Associação Internacional de Economia da Cultura (ACEI). Autora, dentre outros, dos livros “Marketing Cultural e Financiamento da Cultura” (Thomson 2002), “Economia da Cultura e Desenvolvimento Sustentável” (Manole 2006) – Prêmio Jabuti 2007 e organizadora da antologia digital trilíngûe “Economia Criativa como Estratégia de Desenvolvimento” (Garimpo de Soluções e Itaú Cultural 2008). Tem experiência nas áreas de Economia, Desenvolvimento e Comunicações, atuando principalmente nos seguintes temas: marketing e identidade, economia da cultura, economia criativa, indústrias criativas, cultura e desenvolvimento, negócios sustentáveis, políticas públicas e cidades criativas, tema de sua tese de Doutorado.

 

[Fabrício Nobre]

 

,

 

Fabrício Nobre, 30 anos: atual presidente / fundador da ABRAFIN (Associação Brasileira de Festivais Independentes), instituição fundada em 2005, que congrega atualmente 38 festivais musica independente realizados em todo território brasileiro. A ABRAFIN tem tem entre seus filiados festivais como: Abril Pro Rock (Recife – PE), Goânia Noise Festival (Goiânia – GO), Eletronika (Belo Horizonte – MG), Porão do Rock (Brasília – DF), Calango (Cuiabá – MT), entre outros. É sócio/diretor da Monstro Discos  (www.monstrodiscos.com.br) desde 1998, selo responsável pelo lançamento de mais de 100 discos de bandas brasileiras como Ratos de Porão, Autoramas, Mundo Livre SA, Jupiter Maçã, MQN, e Tormentos (Argentina). Sócio/diretor da Monstro Produções, que realiza os festivais Goiânia Noise Festival (desde 1994) e Festival Bananada (desde 1999); produtor de shows de bandas internacionais no Brasil: Deep Purple, Mudhoney, Lemonheads, Megadeth entre outros. Nos ultimos anos realizou palestras e seminarios em eventos nacionais e internacionais, tais como Porto Musical, Feria Musica Brasil, Red Bull Music Academy, Rumos Itaú Cultural, Feria Brasil Central Music, Canadian Music Week, South By Southwest, Bafim e Pop Montreal Symposion. Atua ainda como vocalista da banda MQN (www.mqn.com.br) desde de 1997.

 

[Ioshiaqui Shimbo] 


.

 

Professor do Departamento de Engenharia Civil e do Programa de Pós Graduação em Engenharia Urbana da Universidade Federal de São Carlos. Coordenador do Grupo de Pesquisa HABIS (Habitação e Sustentabilidade) e do Grupo de Pesquisa Sustentabilidade Urbana Membro da Coordenação Colegiada da INCOOP/UFSCar-Incubadora Regional de Cooperativas Populares da Universidade Federal de São Carlos, participando de Projetos de Pesquisa- Ação em incubação de empreendimentos econômicos solidários, em Economia Solidária e Desenvolvimento Territorial

 

 

 

[Marcus Vinícius Franchi]

 

Marcus Vinícius Franchi Nogueira, natural de Sorocaba, educador popular, consultor em Arranjos Produtivos Locais na cadeia econômica da cultura do Ministério da Ciência e Tecnologia – MCT. 36 anos e sociólogo formado pelo Universidade do Estado de São Paulo – UNESP – foi professor do ensino médio e coordenador de projetos de educação não formal. Nos últimos três anos, dentro do governo federal atuou como assesssor do gabinete da Secretaria de Inclusão Social (SECIS) do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) no eixo da educação, tecnologias sociais e geração de emprego e renda. Atualmente é coordenador de ações da Secretaria de Programas e Projetos Culturais (SPPC) do Ministério da Cultura (MinC).

 

 

[Sérgio Ugeda]

 

Sérgio Ugeda, músico auto-didata, integrante de várias bandas, entre elas a Debate. Bacharel em Comunicação pela Fundação Armando Álvares Penteado. Sócio-fundador da Tronco Produções, que é conglomerado de músicos, produtores e jornalistas que vem movimentando a cena de São Paulo e arredores, produzindo eventos diversos e shows. Também respondia pelo extinto selo Amplitude Records. De vida relativamente curta, a gravadora já colocou no mercado bandas como Elma, Satanique Samba Trio e Fóssil, além do próprio Debate.


Banco de Imagens

http://twitter.com/foradoeixo


%d blogueiros gostam disto: